10 filmes que eu recomendo pra todo mundo!

09
jun
2011

Autor: Raphael Ferreira

Facebook | Twitter | Site


Raphael Ferreira

10 filmes que são clássicos pra mim. Se você ainda não viu, deveria ver. Por clássico, não espere sucessos de bilheteria do tipo “Titanic”, vou listar filmes clássicos PRA MIM. Alguns tem até mais de 50 anos e que eu recomendo por outros motivos. A ordem exposta dos filmes não quer dizer que um é melhor do que o outro, saiu apenas conforme eu fui lembrando. Acompanhe:

LARANJA MECÂNICA
 
Gênero: drama/ ficção científica
 
Ano: 1971
 
Sinopse:: A partir de um best-seller de Anthony Burgess, o diretor Stanley Kubkick retrata a violência sem objetivo dos jovens combatida pelo autoritarismo sem freios do Estado e faz um painel assustador da sociedade européia e do próprio mundo moderno.
Alex (Malcolm McDowell, de Se… e A Marca da Pantera) faz parte de um grupo de adolescentes praticantes da ultraviolência. No início do filme é mostrada toda sua bestialidade, ao invadirem um lar e barbarizarem Frank Alexander (Patrick Magee, de Carruagens de Fogo e O Telefone) e sua mulher (Adrienne Corri, de O Circo dos Vampiros).
Quando Alex é preso, as autoridades lhe oferecem uma opção para escapar de longa sentença: submeter-se a um tratamento que lhe fará sentir insuportável aversão diante de qualquer cena ou ato violento. Por engano, a terapia acaba incutindo-lhe também repulsa à música de Beethoven, que adorava.
Alex é libertado, mas se tornou incapaz de reagir à brutalidade do seu ambiente. Isto faz dele uma vítima fácil não apenas das gangs, mas também da vingança de Frank Alexander, que jamais se conformou com os maus tratos sofridos por ele e a esposa.
 
Por que eu recomendo? Tal qual “Che Guevara”, que virou bandeiras e camisas pra muita gente que não sabe metade da história desse “lider revolucionário”, “Laranja Mecânica” até hoje inspira um grito por liberdade de expressão, virou quase uma assinatura de “eu sou cool”, embora o filme não tenha nada a ver com isso. É um ótimo filme, que te faz pensar muito sobre a vida e sobre como coisas absurdamente erradas são vistas “como se não fossem nada” ainda nos dias de hoje. É um clássico pra ser assistido 1 vez só, porque na 2a vez, perde toda a sua essência.

O ILUMINADO
 
Gênero: suspense/terror
 
Ano: 1980
 
Sinopse:: Durante o inverno, um homem (Jack Nicholson) contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo.
Outro clássico do diretor Stanley Kubrick.
 
Por que eu recomendo? “O iluminado” foi certamente um divisor de águas nos gêneros suspense e terror. Um filme que não abusa de efeitos especiais, filmado em um hotel, com orçamento limitado, elenco até então não tão conhecido (Jack Nicholson alcançou a fama graças a esse filme), e que faz o esperado por filmes do gênero, te deixar tenso, grudado no lugar e com um certo medo, mas conheço gente que ficou com MUITO medo. Hehehe É um clássico pra se assistir quantas vezes puder e se impressionar da mesma forma em todas as vezes.
Outro detalhe é que o filme é uma adaptação de um livro do Stephen King, que pra mim é o melhor escritor desse gênero de terror/suspense, e já virou sinônimo de excelentes livros e filmes.
 
 

FORREST GUMP
 
Gênero: drama
 
Ano: 1994
 
Sinopse:: Forrest Gump é um homem muito especial. Considerado estúpido por todos que o conheçem, ele é na verdade apenas uma pessoa ingênua que vê o mundo por uma perspectiva diferente. Gump acidentalmente participa de alguns dos momentos mais importantes da história recente dos Estados Unidos – Guerra do Vietnã, Caso Watergate, entre outros – enquanto tenta ir atrás do grande amor de sua vida. Sua história é contada com drama e bom humor em iguais proporções, surpreendendo o espectador a cada cena.
 
Por que eu recomendo? A própria sinopse já fala sobre, você começa o filme achando que o cara é um idiota, estúpido e que o filme vai ser chato pra caramba. Mas conforme a história vai se denrolando, você começa a se envolver também, começa a torcer pelo personagem e até se emocionar com as coisas que vão acontecendo. Um dos melhores filmes de Tom Hanks, se não for o melhor. Só pra você entender o quanto vale a pena assistir, até hoje, se eu vejo que algum canal vai exibir o filme, eu paro pra assistir, não importa quantas vezes.
 
 

À ESPERA DE UM MILAGRE
 
Gênero: drama
 
Ano: 1999
 
Sinopse:: Passado no Corredor da Morte de uma prisão do sul dos Estados Unidos, em 1935, À Espera de Um Milagre é a adaptação para o cinema do romance best-seller de Stephen King (publicado em 1996) sobre a história de um guarda de prisão que desenvolve um relacionamento incomum e comovente com um preso que possui um dom ao mesmo tempo mágico, misterioso e miraculoso.
À Espera de Um Milagre é todo contado em flasbacks por Paul Edgecomb (Tom Hanks) à sua amiga Elaine Connelly. Edgecomb agora vive num asilo para idosos, seis décadas depois de ter trabalhado como o guarda chefe do Corredor da Morte na Penitenciária de Cold Mountain. Lá, a tarefa de Edgecomb durante a era da Depressão do Sul era cuidar de quatro assassinos que aguardavam sua caminhada final pelo Green Mile, uma comprida passadeira verde que leva os presos de suas celas até a cadeira elétrica.
Durante anos, Edgecomb anda por essa passadeira acompanhando uma grande variedade de presos. Mas nunca antes ele conhecera alguém como John Coffey (Michael Clarke Duncan), um negro enorme condenado por ter matado brutalmente duas gêmeas de nove anos. Coffey certamente tem tamanho e força para matar qualquer um. Sua conduta, porém, opõe-se à sua aparência. Além de sua natureza simples e ingênua e um medo mortal do escuro, o preso parece possuir um dom sobrenatural. Edgecomb começa a questionar se Coffey foi realmente o culpado do assassinato das duas meninas.
Com o desenrolar da história, Paul Edgecomb aprende que, às vezes, os milagres acontecem nos lugares menos esperados.
 
Por que eu recomendo? Um filme que é baseado em um livro de Stephen King e que tem Tom Hanks e Michael Clarke Duncan no elenco, é um filme que com toda certeza eu assistirei. Não só por isso, o filme é um clássico porque a história é emocionante (da que pode te fazer chorar mesmo!), e é um filme que quando acaba você com toda certeza pensa “eu vou assistir de novo!”.
 
 

O MÁSKARA
 
Gênero: comédia
 
Ano: 1994
 
Sinopse:: Em Edge City vive Stanley Ipkiss (Jim Carrey), um cara decente que trabalha em um banco mas é socialmente desajeitado e sem muito sucesso com as mulheres. Após um dos piores dias da sua vida, ele acha no mar a estranha máscara de Loki, um deus escandinavo. Quando Stanley coloca a máscara, se transforma em O Máskara, um ser com o rosto verde que possui a coragem para fazer as coisas mais arriscadas e divertidas que Stanley receia fazer, inclusive flertar com Tina Carlyle (Cameron Diaz), a bela e sensual cantora que se apresenta no Coco Bongo, a discoteca do momento. O Máskara tem velocidade sobre-humana e um humor não-convencional e, enquanto isto, o gângster Dorian Tyrrell (Peter Greene), que namora Tina, se esforça para destruir o Máskara e se apoderar da máscara para usar seus poderes para o mal.
 
Por que eu recomendo? Foi um dos filmes mais importantes da carreira de Jim Carrey e não por acaso, ali é que ele ficou conhecido pelo grande público mostrando o ótimo ator que é, especialmente em comédias. Não que ele já não fosse famoso, mas com esse filme, quem não sabia quem era Jim Carrey, ficou conhecendo e virou fã na hora! O filme foi exato momento em que virou normal usar e abusar de efeitos especiais em qualquer tipo de filme e não só nos de ficção científica. Claro, tem filme que usa desses efeitos desnecessariamente, mas no filme “O mascara” esses efeitos são usados onde não haveria outra maneira de dar vida as cenas. Eu mesmo já vi umas 20 vezes e nunca me canso.
 
 

DUELO DE TITÃS
 
Gênero: drama/história real
 
Ano: 2000
 
Sinopse:: Baseado em uma história real, este filme seguido de acontecimentos dramáticos ocorreu em Alexandria, no Estado da Virgínia em 1971. Herman (Denzel Washington), um técnico negro de futebol americano, é contratado para trabalhar com um time integrado de duas escolas de ensino médio, os ‘Titãs’. Herman tem que enfrentar a indiferença dos jogadores e um frio relacionamento com seu assistente Bill Yoast (Will Patton), um técnico branco que perdeu a vaga para ele. É bem claro que a hostilidade de Bill é por estar subordinado a um homem negro. Os dois aprendem que têm muito em comum e se concentram em fazer do time um campeão.
Carismático, porém determinado, Herman resolve levar os jogadores para acampar por duas semanas. Lá eles são treinados rigorosamente, tanto fisicamente como em unidade do time, forçando-os a viver e trabalhar juntos.
 
Por que eu recomendo? Esse não é um filme muito conhecido, mas deveria. Quem nunca viu esse filme, tem obrigação ver. Um elenco incrível, num filme extraordinário. Quando tenho que listar os meus filmes preferidos, esse vem no topo da lista sem medo. É o filme que eu mais indiquei e ainda indico pros meus amigos, porque você assiste uma vez e nunca mais esquece da história, vai querer ver quantas vezes puder ver e vai se emocionar sempre.
Outro detalhe é que filme com Denzel Washington é sinônimo de filme muito bom. Até hoje não vi um filme dele que tenha me decepcionado.
 
 

A ÚLTIMA FORTALEZA
 
Gênero: drama
 
Ano: 2001
 
Sinopse:: O General Irwin (Robert Redford) é um condecorado militar do exército americano que perde sua patente e sua liberdade após ser injustamente condenado por uma corte militar a passar o resto de sua vida em uma penitenciária militar de segurança máxima. Lá ele conhece o Coronel Winter (James Gandolfini), que dirige a prisão com punho de ferro. De início há um respeito recíproco entre eles, que logo se torna ressentimento após Irwin discordar de alguns dos métodos de Winter no comando da prisão. Disposto a calar Irwin de qualquer maneira, as táticas de Winter apenas o motivam a liderar uma rebelião de prisioneiros para conseguir tirá-lo do poder.
 
Por que eu recomendo? É uma história envolvente. Não é um simples filme que você dá play assiste e acabou, é um filme que te faz tomar partido, torcer por um lado, se irritar, ficar feliz, fazer parte da história de verdade. Na minha lista de filmes favoritos, é o 2º melhor.
 
 

VIDAS EM JOGO
 
Gênero: ficção/suspense
 
Ano: 1997
 
Sinopse:: Em São Francisco Nicholas Van Orton (Michael Douglas), um banqueiro milionário no seu 48º aniversário (a idade do pai quando se suicidou), ganha de presente do seu irmão Conrad (Sean Penn) um cartão que lhe dá acesso a um divertimento incomum, organizado pela empresa Serviços de Recreação do Consumidor. Deste momento em diante Nicholas se vê envolvido em um perigoso “jogo”, que parece ter como objetivo matá-lo. Ele já não sabe em quem confiar, pois qualquer pessoa pode ser um assassino em potencial. Nicholas resolve então ir à polícia denunciar o ocorrido, mas quando chega na sede da empresa encontra apenas um andar vazio, sendo que a administradora do prédio nega que esta firma tenha tido no passado um escritório ali. Ele então toma consciência que tem de lutar sozinho para se manter vivo e evitar que as pessoas por trás disto concluam o plano de roubar todo o seu dinheiro.
 
Por que eu recomendo? Porque o filme te deixa maluco do inicio ao fim com os acontecimentos. É um daqueles filmes que a sua casa pode pegar foto, um meteoro atingir a terra, que você nem percebe, você está concentrado no filme do começo ao fim. Provavelmente é o roteiro mais inteligente e inesperado que já vi em um filme. Você é surpreendido a cada cena.
 
 

FESTIM DIABÓLICO
 
Gênero: ficção
 
Ano: 1948
 
Sinopse:: Brandon (John Dall) e Philip (Farley Granger) matam David Kentley (Dick Hogan), um colega da escola preparatória, apenas para terem a sensação de praticar um assassinato e provar que conseguem realizar o crime perfeito. Para desafiar os amigos e a família, resolvem convidá-los para uma reunião no apartamento deles, onde colocam a comida em cima de um baú e dentro do mesmo está o corpo da vítima.
 
Por que eu recomendo? Um clássico de Alfred Hitchcock, com um tema ousado pra época (porque além do frio assassinato, o crime foi praticado por um casal de homosexuais) foi feito de uma maneira totalmente inovadora: 8 takes de 10 minutos, sem cortes, em um único cenário, como se fosse um teatro, e o corte dos takes só acontecia porque na época os rolos de filmagem só tinham capacidade para 10 minutos, então, esses cortes eram feitos com a camera nas costas dos atores ou em pilastras, e desse modo, nem eram percebidos, porque o resultado é um filme contínuo, com apenas uma câmera.
 
 

O BEBÊ DE ROSEMARY
 
Gênero: terror
 
Ano: 1968
 
Sinopse:: Um casal recém-casado tentando vencer na vida. Ele (John Cassavetes), um ator sem muito sucesso. Rosemary (Mia Farrow), uma jovem dona de casa, dedicada e prendada. Ambos se mudam para um apartamento no qual coisas estranhas acontecem. Vizinhos intrometidos atormentam o casal, mas tudo vai bem. Uma noite, ela tem um sonho estranho e a partir de então nada mais será igual. Nos próximos dias, ela, Rosemary, descobre que está grávida. Mas essa não seria uma gravidez normal. Dores terríveis atormentam a pobre mulher, enquanto seus vizinhos dominam cada vez mais sua vida e seu marido atinge um sucesso repentino e suspeito. As suspeitas de Rosemary começam a crescer cada vez mais…
 
Por que eu recomendo? Não tem como eu comentar sobre esse filme sem entregar toda a história. Assistam!

Autor: Raphael Ferreira

Facebook | Twitter | Site



Participe! Deixe seu comentário abaixo: