A propaganda é a alma do negócio #3

31
jan
2012

Autor: Alex Silva

Facebook | Twitter


Alex Silva

 
Para aqueles que gostaram da brincadeira, ela está de volta. Só para deixar bem claro que essa atividade não me rende nenhuma “comissão” ou prestígio em nada do que faço ou deixo de fazer. Trata-se apenas de uma brincadeira que, de certa, forma divulga algumas marcas mais reconhecidas no mercado nacional graças aos seus comerciais espetaculares e contratações de “marketeiros” brilhantes. (risos)
 


(TV 3D – NISSAN)

 
“Amor, essa TV é 3D!” – eu nunca vou esquecer essa frase, e se um dia a minha TV levantar e vier me abraçar com certeza vou falar a mesma coisa – com exceção do “amor”. No começo parecia ser mais um golpe de marketing onde uma pessoa falava tudo de bom que a empresa fez e/ou estava fazendo. Depois a bagaça mudou: o televisor levantou, pediu um abraço e de forma bastante humorística o vagabundo no sofá fica com aquela cara do Quico, ganhando finalmente a sua “bola quadrada”.


(LUÍZA – TELECINE)

 
“Menos a Luiza, que está no Canadá.” – foi repentina, essa fala tão simples se espalhou pelas redes sociais assim como os tweets sobre a polêmica no BBB 12 envolvendo o modelo Daniel e sua vítima, Monique. Até mesmo a rede Telecine, que faz parte dos canais fechados, usou disso em seu comercial que anuncia a programação de férias. Foi legal, mas quando se vê essa frase em tudo que é lugar, a coisa muda.
 


(BEBÊ RI HISTERICAMENTE – ITAÚ)

 
“LOL” – para quem não sabe, “lol” é a abreviação de “laughing out loud”, que significa rindo alto; e como eu não poderia esquecer o bebê mais ‘óóóóounnnn’ do momento, aqui está ele. O garotinho da propaganda do banco Itaú aniquila qualquer pensamento ruim ou mau humor de qualquer pessoa. É incrível como uma criança rindo histericamente consegue nos fazer sentir tão bem em um mundo tão violento. Eu queria um irmão como ele; com certeza seria um dos maiores responsáveis pelo desmatamento. (risos)
 


(HOMEM-CARRO – CITRÖEN C3 PICASSO)

 
“Carro ambulante” – em seu mundinho paralelo onde a tecnologia, ou o dinheiro, não chegou até ele, o camarada do vídeo é obrigado a imitar cada som que seu carro faria (se pudesse). Até o alarme é ridicularizado quando um outro rapaz senta no capô. Como bicicletas não tem alarmes, essa será a minha tática a partir de hoje. Mas o que acontece se eu não estiver de olho? VISH
 
E por hoje é só!

Autor: Alex Silva

Facebook | Twitter



Participe! Deixe seu comentário abaixo: