Boas influências – os jovens precisam disso!

11
out
2011

Autor: Alex Silva

Facebook | Twitter


Alex Silva

Olá, pessoal! Hoje decidi falar também sobre algo muito importante na vida de todo mundo, seja jovem ou “vivido”: vamos falar sobre “influência”. Como a maioria deve saber a formação do caráter surge na convivência de um indivíduo com outros. Isso define se você terá uma boa ou má índole; se vai se tornar um mentiroso nato, se tratará os outros como iguais e por esse caminho seguem vários exemplos.
 
Os jovens da época da minha avó (sim, comparação tosca) eram influenciados pelos pais, que ditavam o que eles poderiam ou não fazer e quando seria feito. Hoje em dia temos como maior influência nossos amigos, com os quais convivemos a maior parte do tempo; seja na hora de sair para uma balada, durante o intervalo no colégio/faculdade, uma partida de futebol no campo do bairro, etc.
 

 
Existe aquele mais velho e o mais novo, então tecnicamente o mais velho é o influenciador e o mais novo o influenciado. Geralmente ocorre o oposto comigo. Nunca conheci ninguém do qual eu servi como exemplo – acredito que não sirva para o “serviço” dentro da sociedade. :P

O modo de se deixar influenciar não se restringe apenas no modo de ser (“ismo”) e/ou agir, mas também em qual caminho seguir profissionalmente. Postei algo relacionado a isso há duas semanas (senão me engano). Ainda existem aqueles que se deixam levar pela vontade “onipotente” dos pais e decidem se tornar o que o pai e/ou mãe tem em mente. Eu os chamo de “sem-vida”, afinal não conseguem tomar conta do seu próprio nariz e impor a sua vontade (mas vá com calma ao fazer isso).
 

 
Tenho poucas pessoas das quais me orgulho em ter admiração e vejo como boas referências: Alanaleide (minha tia, amo bagarai xD), Alex Xavier (jornalista e colunista que acabou se tornando uma referência jornalística para mim), Kleber (um amigo do colégio) e Júnior (outro amigo do colégio, que é o mesmo cara que fez os graffitis do próximo post que irá ao ar ainda hoje). Como disse são poucas. Tive a idéia de fazer uma entrevista com o Alex Xavier sobre o tema. Segue abaixo a pergunta e em sequência a sua resposta à mesma:
 

 
O tema é “influência” como já tinha te falado por e-mail, e como você virou referência para mim, aqui vai a sua participação nesse plano de dominação mundial (“Pink, Felícia e o Cérebro…”):
 
Minha pergunta: “Hoje o número de adolescentes que se deixam levar pela vontade dos pais é imensa. É a chamada “pressão dos pais” onde os mesmo empurram o filho num caminho que o mesmo não desejava seguir, porém é obrigado. Alex Xavier, pelo que já li em seu blog pessoal (Inventário de Coisas Inúteis), você, quando criança, tinha em mente seguir a carreira de cineasta, mas hoje é um jornalista (que faz um trabalho muito legal). A pergunta aqui seria: você foi forçado por seus pais e/ou amigos a seguirem essa profissão?”.
 
Em resposta, Alex Xavier disse: “Quando a esta, meus pais não me forçaram a nada. Sou o único responsável pelas decisões que tomei a vida toda. As boas e as ruins. E não acho que ninguém deve colocar nos pais a culpa pelas suas frustrações. Afinal, mesmo quando existe pressão da família para seguir um caminho, a decisão de fazer o que eles esperam dele ou jogar tudo isso para o alto, será sempre da pessoa.”.
 

 
Então, pessoal, veja só: você quem deve tomar as rédeas do que vai ou não seguir na vida! Seguir contra sua vontade e mais pra frente falar “fiz, pois meus pais me obrigaram”, não vai justificar a sua tolice. Por isso tenha em mente o que você quer ser daqui para frente. Mesmo sendo uma pessoa influenciável, procure saber se isso é realmente o que você quer de sua vida.
 
Mais uma vez, ficamos por aqui… Aliás, mentira, daqui a pouquinho tem outro post meu!

Autor: Alex Silva

Facebook | Twitter



Participe! Deixe seu comentário abaixo: