Porque no dos outros é refresco

15
ago
2011

Autor: Alexandre Castro

Facebook | Twitter


Alexandre Castro

Acho que primeiramente tenho que agradecer ao Raphael pelo convite de escrever essa coluna semanal e as pessoas que estão curtindo, me adicionando e consequentemente estamos trocando figurinhas…
 
Hoje, em especial não vou fazer nenhuma crítica a nada, não vou expor opiniões, nem nada do gênero, vou apenas contar um caso que aconteceu quinta feira passada que realmente vale a pena. Tenho que começar explicando como o caso chegou aos meus ouvidos.
 
Meu tio pediu para que eu fizesse alguns pratos para o bar dele, que ele quer mudar, fazer algo novo, e coisas assim. E eu topei! Porém, chegando no bar, vi que era legal ficar lá e trabalhar com ele, então estou junto fazendo os pratos pra moçada e conhecendo sempre pessoas legais, expandindo meus conhecimentos inter-pessoais!
 

 
Então se deu o caso… Um senhor de meia idade, chegou até o bar, sentou, eu vi, e não tinha ninguém para atendê-lo. Imediatamente fui atender e explicar sobre a mudança da casa e coisas assim, dando-lhe as boas vindas.
 
Ele já estava um pouco alterado e me pediu uma cerveja. Imediatamente já estava na mesa dele, e começamos a conversar. O senhor estava com uma aparencia tristonha, estava visível isso, mas não entrei em detalhes até que ele entrou e falou:
 
- Rapaz, voce é muito educado, tem aparencia de ser mais novo, porém me parece mais velho, qual a sua idade?
- Tenho 29 anos senhor, obrigado pelo elogio!
- Iiiiii, ainda falta tempo viu!
- Desculpa, mas falta tempo para que?
- Esta manhã, foi uma das piores da minha vida… Tive que fazer o tal exame, ligar, marcar e o pior, ir! Mas fui com medo, achei que seria de um jeito e é pior, você tem que fazer olhando pro “grão dos olhos do médico”, além disso você tem que ver ele colocar uma camisinha no dedo, lubrificante, e pedir pra RELAXAR! Mas como relaxar se estou na mesma posição de uma mulher dando a luz! Ver ele colocar o dedo lá, ficar mexendo com o dedo lá dentro e falando ao mesmo tempo “preciso que o senhor relaxe”, depois do exame feito, ter que apertar a mão dele e agradecer, e o pior ainda…PAGAR R$ 230,00 para isso! Estou realmente aborrecido!
- Olha, o senhor tem certeza que nao quer nada mais forte do que cerveja????
 

 
Bem, vou ficar por aqui com este fato e rezando para que a medicina evolua cada vez mais rapido!
 
Um grande abraço a todos e até segunda que vem, claro, voltando com minhas críticas destrutivas (caso não aconteça mais nenhum caso desta natureza que eu nao possa deixar de contar!)

Autor: Alexandre Castro

Facebook | Twitter



Participe! Deixe seu comentário abaixo: