Pra quem nunca ouviu falar de Harry Houdini

25
jul
2012

Autor: Raphael Ferreira

Facebook | Twitter | Site


Raphael Ferreira

 
Harry Houdini (nome artístico de Ehrich Weiss), foi um dos mais famosos escapistas e ilusionistas da história. O grande idolo de 9 entre 10 ilusionistas.
 
Nasceu em Budapeste, capital da Hungria, em 24 de Março de 1874. Sua família emigrou para os Estados Unidos, quando Houdini tinha apenas 4 anos de idade, em 3 de julho de 1878 em busca “de um futuro melhor”. Teve uma infância muito pobre e por conta disso, trabalhou desde bem criança. Entre seus vários oficios, foi perfurador de poços, fotógrafo, contorcionista, trapezista e também ferreiro. Nesse último, aprendeu os truques que mais tarde o transformariam no maior ilusionista do mundo.

Certa vez, seu chefe encarregou-lhe de abrir um par de algemas cuja chave um policial perdera. Após inúmeras tentativas usando serras, Houdini teve a idéia de pinçar a fechadura para abri-la. Ele conseguiu e a maneira como o fez serviu de base para abrir todas as algemas que empregava em seus truques. Desde então, passou a se apresentar como mágico escapista, apresentando números onde se libertava algemas, correntes e cadeados, dentro de caixas, dentro de tanques fechados (dentro e fora d’água), de todo o jeito. Fez enormem sucesso e ninguém até hoje conseguiu desvendar seus truques por completo, mesmo depois dele ter escrito boa parte dos segredos em livro.
 

 
Além de ilusionista e escapista, ao longo de sua vida Houdini foi dublê, ator, historiador, produtor cinematográfico, piloto, espiritualista e desenganador, desmascarando pessoas que alegavam possuir poderes sobrenaturais tais como médiuns, videntes, paranormais e afins. Detestava quando alguém que trabalhasse na mesma área artística que ele se auto-proclamasse “mágico” ou algo do gênero. Houdini se definia como um “artista”, nunca afirmou ter poderes sobrenaturais, apenas grande força física, agilidade e uma incrível capacidade de penetrar a lógica de cadeados e assim desenvolver/desvendar truques e segredos desta arte. Suas aparições públicas desafiando a morte escapando de grilhões, camisas de força, celas de prisão e caixões/baús amarrados com correntes e jogados ao mar deixavam audiências boquiabertas. Sua fama se alastrou por todo o mundo.
 
Houdini também odiava com todas suas forças e procurava sempre ridicularizar sessões de supostos médiuns e outros espiritualistas. Combinou com sua esposa, Bess, que deixaria uma frase secreta e aquele que descobrisse o que estava escrito para sua esposa, levaria um prêmio em dinheiro. Ninguém nunca se atreveu a tentar descobrir. Foi sua última e talvez a mais provocativa “mágica”.
 

 
Houdini sempre foi impressionante. Entre seus vários talentos, era capaz, por exemplo, de ficar vários minutos dentro d’água sem respirar e, foi por consequência de uma destas demonstrações de suas habilidades – a “incrível resistência torácica” – que ele morreu. Depois de uma apresentação para estudantes em Montreal, no Canadá, enquanto ele ainda exibia o “super tórax”, fez um desafio, dizendo que qualquer um dos estudantes presentes poderia golpeá-lo no abdômen com toda força que conseguisse, que ele seria capaz de absorver. Um dos estudantes, um boxeador amador, invadiu os bastidores e, sem dar tempo para que Houdini preparasse os músculos, golpeou-lhe o com três violentos socos que lhe romperam-lhe o apêndice.
 
A agenda corrida de Houdini e sobretudo seu orgulho, não permitiram que ele fosse para o hospital. Alguns dias depois, em 24 de outubro de 1926, no Teatro Garrick em Detroit, Michigan, enquanto preparava o palco para o que seria sua última apresentação pública, sentiu-se mal, chegando a ter uma febre de 40 graus, então foi levado ao Grace Hospital de Detroit, Houdini morreu por hemorragia do apêndice em 31 de outubro, aos 52 anos de idade. Era o fim de Harry Houdini, considerado até hoje o maior mágico que já existiu.
 
Após a realização de exames de corpo delito e post mortem, a companhia de seguro de Houdini concluiu que a morte se deu devido ao incidente com o estudante e seu seguro de vida foi pago em dobro.
 
O funeral de Houdini aconteceu em 04 de novembro de 1926 na cidade de Nova Iorque, com mais de 2.000 pessoas presentes, especialmente com membros da sociedade de mágicos americanos. Em sua lápide foi afixada o emblema da sociedade dos mágicos. Todos os anos, no dia de seu aniversário (24 de Março), essa sociedade mágica realiza a “Cerimônia da Varinha Mágica Quebrada” em sua homenagem. A esposa de Houdini, Bess, morreu em 1943 e não pôde ser enterrada com ele por não ser de origem judaica.
 
Vou colocar alguns videos mas ignorem o fato de terem uma qualidade péssima, são videos de 100 anos atrás, literalmente:
 


 

Autor: Raphael Ferreira

Facebook | Twitter | Site



Participe! Deixe seu comentário abaixo: